PAZ CONSCIENCIAL

mensagem-paz-consciencial       Meus filhos, íngremes foram os trechos percorridos por Nosso Senhor Jesus, quando em estadia na Terra.

Não se tem notícias que algum dia tenha Ele desfrutado de instantes amenos.

Historiadores de renome, apenas se deparam para compilar seus registros, com relatos de intérminas lutas.

Ainda nos primórdios de sua chegada à Terra, é perseguido por autoridade regional, que determina a execução de multidões de crianças, na esperança de que sua ira atingisse o Divino Salvador.

Suas pegadas nas estradas terrenas, motivos teriam para não se revelarem impressas com força e imponência no solo, porque não lhe concederam os homens de então, um só instante dedicado a um dia tranquilo, para que se refizesse dos efeitos traumáticos das lutas travadas contra a ignorância e as manifestações malsãs de tantos corações equivocados, muitos a serviço do fanatismo religioso.

Quando definitivamente abraça a tarefa pública aos 30 anos de idade, recrudesce a malta de seus perseguidores e muito embora tenha beneficiado tantos aflitos que lhe acompanhavam os passos, não se sabe de ninguém que tenha saído em sua defesa, ao ser capturado e julgado, e, a sentença aponta a decisão de libertar a um ladrão em detrimento da sua personalidade inesquecível.

Levantaram-se á época, muitos homens, com fins de surpreendê-Lo em deslizes, e, decisivamente foram eles, os homens que trajavam os paramentos dos representantes da religião que mudaram a rota de seu destino, de sua missão, de propagar o amor e instruções inesquecíveis, expedidas que foram não em caráter regional, mas sobretudo universal.

Por fim, após uma sequência de manifestações de amor, é preso, cercado de insinuações maldosas, surrado, alvo de ingratidões e abandono, mesmo da parte dos que O seguiam na condição de apóstolos, notadamente nas trilhas mais favoráveis da Terra.

A Ele foi concedido à cruz, a qual se viu obrigado a carregar até um monte, onde foi crucificado ao meio de homens comprometidos com a consciência.

Meus filhos, para nós outros, os que militamos à frente dos propósitos de Jesus, hoje inseridos na Doutrina espírita, o Consolador Prometido, certo que haverão reprises de circunstâncias destinadas a nos maltratarem o coração, devido a presença de críticas e perseguições que despontam de toda parte.

Que continuemos, apesar das ocasiões hostis, na tarefa de divulgar ao mundo as libertadoras lições de Nosso Mestre Jesus, porque infelizmente ainda na Terra, tantos corações surrupiados pela indiferença e maledicência alheia, clamam por dias de céu azul e Sol aquecedor.

Desbravando caminhos para a passagem magistral do amor, não nos iludamos esperando por facilidades, mas transitemos prevenidos e zelosos, prontos a contornar os impasses que surgirão.

Que nossos ideais não sejam para nós de menor estatura que as aluviões de problemas que à nossa frente surgirão nos abatendo as forças, nos levando por fim a desistir de nossos intentos.

Quantos se revelam contraditórias estas palavras de Jesus “a minha paz vos dou”, quando comparadas as circunstâncias tumultuadas que enfrentou dos primeiros dias da existência, aos dias finais na Terra. De que paz desfrutou Ele para assim se pronunciar…

Filhos, qual Ele, priorizemos a conquista da verdadeira paz, que é a consciência, a que realmente prepondera em quaisquer momentos da vida.

É essa a paz que a humanidade está carecendo.

Que Ele nos abençoe.

Bezerra

Página psicografada pelo médium Alaor Borges Junior, no Lar Espírita Grupo Aprendizes do Amor, em reunião pública da manhã do dia 29/09/2013, na cidade do Rio de Janeiro-RJ.

RECEBA O JORNAL GRÁTIS

Digite seu e-mail para receber as novas publicações do J.E.U. por e-mail.

%d blogueiros gostam disto: