O JOVEM E SEUS CONFLITOS NA ATUALIDADE

o jovem e seus conflitos na atualidadeEssa frase sempre me chamou muito a atenção: “O jovem e seus conflitos na atualidade”, me levando a colocá-la como título da minha primeira palestra gravada pela TV WEB A Caminho da Luz, para a qual doei todos os direitos autorais. (Conferir o site www.tvacaminhodaluz.com.br).

Tenho recebido muitos e-mails e mensagens me pedindo para que eu fale um pouco sobre a juventude na atual circunstância em que vivemos. Um dos motivos desses pedidos reiterados é por eu também ser jovem (tenho 23 anos).
Notamos com muita tristeza os jovens da minha idade e até mesmo mais jovens do que eu, pela realidade em que se encontram na atualidade, passar por problemas devido aos comprometimentos de boa parte deles em relação aos dos vícios (lícitos e ilícitos).
Recordo-me de meus Pais me narrarem o quanto era difícil ser jovem na época deles. Na grande maioria das vezes, tinham que começar a trabalhar desde cedo para ajudar no sustento de casa; eram famílias grandes e que muitas vezes passavam inúmeras dificuldades materiais.

Não podiam cursar um curso superior, pois na maioria das vezes tinham que optar entre trabalhar e ajudar em casa ou estudar e passar fome; e poderíamos narrar inúmeras outras situações que faziam com que os jovens daquela época não seguiam com os estudos adiante.

Hoje em dia a situação é outra. Há poucas décadas, não havia diálogo em casa, muitos assuntos eram constrangedores para serem abordados de pai para filho ou vice-versa. Apenas um olhar e o filho já sabia o que o pai queria.

Nessa época, isso também não era legal, pois não tinha diálogo. Mas tinha algo importante: respeito. E era difícil a criança e mesmo o jovem naquela época não saberem rezar o Pai Nosso, e frequentar alguma religião.
Já nos dias atuais, tudo é mais fácil, tanto para estudar quanto mesmo sem aquela necessidade de começar a trabalhar desde muito cedo (salvo alguns casos).

Mas infelizmente, notamos com muita tristeza que nós, os jovens da atualidade, não aproveitamos nada do que temos; recebemos tudo de mãos beijadas, não damos valor a nada, e ainda por cima tem uma lei que só permite trabalhar a partir dos 16 anos.

Enquanto não chegamos nos 16 anos, ou mesmo depois dessa faixa etária, levamos a vida brincando, de festas em festas, conhecendo os prazeres que o mundo pode nos oferecer, incluindo as drogas lícitas e ilícitas, e o sexo desregrado.
Por termos tudo do bom e melhor e não termos que suar a camiseta para ganhar a vida, vocês acham mesmo que iremos querer saber de outra coisa a não ser termos a vida que temos – de não fazer nada ou até mesmo estudarmos de fachada?

Hoje em dia, é comum eu ouvir relatos de pais dizendo que em casa quem manda são os filhos. Ora, dessa forma onde iremos parar? Desde de quando o jovem tem capacidade de decidir seu futuro sozinho e de mandar no lar?
É por essas e outras que em muitos lares de hoje não há respeito, união, equilíbrio, paz, tolerância, religiosidade. Vamos refletir.

André Luis Chiarini Villar – E-mail de contato: villarandre2@yahoo.com.br

Extraído do blog: http://www.andreluisvillar.com.br/

RECEBA O JORNAL GRÁTIS

Digite seu e-mail para receber as novas publicações do J.E.U. por e-mail.

%d blogueiros gostam disto: