O ENCONTRO NACIONAL DOS AMIGOS DE CHICO XAVIER E SUA OBRA

A ideia da realização de encontros nacionais anuais para destacar a importância da vida e da obra de Chico Xavier surgiu espontaneamente no Confraternar de Uberaba, no ano de 2007. Na ocasião, diversos amigos de Chico Xavier lá se encontraram para as tarefas programadas pelos organizadores, e nos bate-papos de bastidores todos falamos da falta que a presença física de Chico Xavier nos fazia, e anotamos a ausência de notícias sobre a obra de Chico nos periódicos e nas publicações espíritas de nosso movimento. Surgiu daí a vontade de os reunir anualmente para não deixar morrer essa chama de fé e de esperança, esclarecimento e consolação que se substanciam na vida e na obra de Chico Xavier.

Assim, no ano seguinte, 2008, o primeiro encontro foi realizado em Uberaba, seguido do segundo, em Pedro Leopoldo, em 2009, do terceiro, novamente em Uberaba, em 2010, seguido do quarto, em Belo Horizonte, em 2011, do quinto, em 2012, em Recife, do sexto, em 2013, em Votuporanga, e do sétimo, em 2014, em Aracaju. Em 2015, o oitavo encontro nacional foi realizado em Santos, e o primeiro encontro internacional se deu em Lisboa. Em 2016 realizou-se o nono Encontro Nacional em Goiânia.

Os idealizadores e organizadores dos Encontros Nacionais dos Amigos de Chico Xavier e Sua Obra afirmam que não têm nenhuma intenção de mitificar ou divinizar a figura humana de Chico Xavier, mas sim de divulgar seus exemplos de renúncia e amor nas tarefas que desempenhou na mediunidade e na assistência fraterna inspiradas no amor de Nosso Senhor Jesus Cristo. O objetivo central é incentivar a leitura e o estudo sistematizado das obras psicografadas por seu intermédio, por entendermos que elas representam o desdobramento das obras da codificação kardequiana.

Evidentemente que não estamos desconsiderando a progressividade da nossa Doutrina, e muito menos a contribuição de outros espiritistas, como Zilda Gama, Bezerra de Menezes, Yvonne Pereira, Eurípedes Barsanulfo, dentre outros, além daqueles que continuam atuando e os que ainda virão a colaborar na construção e no fortalecimento do movimento espírita.

Quando falamos das obras psicografadas por Chico Xavier, também falamos indiretamente de muitos anônimos trabalhadores que colaboraram – e ainda colaboram – para o engrandecimento desse trabalho. Companheiros de Pedro Leopoldo e Uberaba, além de muitas outras cidades no Brasil e no exterior, doaram a sua parcela de contribuição, inspirados e identificados com a forma de pensar e agir desse fiel servidor de Jesus. Chico Xavier, em seus 92 anos de idade de profícua atividade evangélica, dos quais 75 na mediunidade espírita-cristã soube como poucos vivenciar a tão esquecida máxima do Cristo: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Essa referência significante, que o acompanhou em toda a sua vida, não permitiu que a sua religiosidade reduzisse a sua alegria de viver, pois Chico manteve-se alegre e jovial, justamente em razão de sua fé em Deus, na vida e nos homens, sabendo que todas as lutas e sofrimentos humanos passariam com a voragem do tempo, deixando para trás somente o amor e o aprendizado com o Cristo.

O Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua Obra, além de estimular a leitura e o estudo das obras básicas de Allan Kardec, já, historicamente, instituída em várias partes do nosso Brasil, e mesmo fora dele, também procura estimular a leitura e o estudo sistematizado das obras psicografadas por Chico Xavier, considerando-as obras básicas da Doutrina dos Espíritos.

Transcrito do link: http://www.febnet.org.br/blog/geral/colunistas/o-encontro-nacional-dos-amigos-de-chico-xavier-e-sua-obra/

RECEBA O JORNAL GRÁTIS

Digite seu e-mail para receber as novas publicações do J.E.U. por e-mail.

%d blogueiros gostam disto: